Confissão #44

Até eu cansei de ficar ajoelhada no milho: estão aí abaixo quatro novas confissões, pois agora só volto aqui dentro de duas semanas. Comportem-se no carnaval, mas não muito, está bem?
E fiquem também com essa maravilhosa parábola da madrinha desse blog, Cora Coralina:


Conclusões de Aninha

Cora Coralina

Estavam ali parados. Marido e mulher.
Esperavam o carro. E foi que veio aquela da roça
tímida, humilde, sofrida.
Contou que o fogo, lá longe, tinha queimado seu rancho,
e tudo que tinha dentro.
Estava ali no comércio pedindo um auxílio para levantar
novo rancho e comprar suas pobrezinhas.

O homem ouviu. Abriu a carteira tirou uma cédula,
entregou sem palavra.
A mulher ouviu. Perguntou, indagou, especulou, aconselhou,
se comoveu e disse que Nossa Senhora havia de ajudar
E não abriu a bolsa.
Qual dos dois ajudou mais?

Donde se infere que o homem ajuda sem participar
e a mulher participa sem ajudar.
Da mesma forma aquela sentença:
"A quem te pedir um peixe, dá uma vara de pescar."
Pensando bem, não só a vara de pescar, também a linhada,
o anzol, a chumbada, a isca, apontar um poço piscoso
e ensinar a paciência do pescador.
Você faria isso, Leitor?
Antes que tudo isso se fizesse
o desvalido não morreria de fome?

Conclusão:
Na prática, a teoria é outra.

****
Foto: O quarto onde dormiu Cora Coralina, tirada pelo Gravatá.

9 Comments:

Blogger Matilda Penna said...

Boa viagem, boa não, ótima, claro!
Aproveite, :).
E com certeza que na prática a teoria é outra, muito outra mesmo.
Beijos, :).

2/20/2006 12:17:00 PM  
Anonymous Sonia said...

Já me emocionei visitando esse quarto, essa casa às margens do Rio Vermelho, o jardim com sua bica, aquela cozinha singela.
Boas férias pra você, Aninha.

2/21/2006 12:56:00 AM  
Blogger Claudio Costa said...

Bom descanso... o carnaval aqui em Belo Horizonte é como um oasis de silêncio, poucos automóveis na rua, nenhum movimento.... Quanto à Cora Coralina: ah! só posso suspirar...

2/22/2006 11:12:00 PM  
Blogger Allan Robert P. J. said...

Cora Coralina carregava a simplicidade para a poesia. O quarto esclarece o porquê: belo, simples e com uma janela para o mundo.

2/24/2006 01:53:00 AM  
Blogger sub rosa said...

Olá Ana
Encontri o endereço de seu blo no site meter so sub rosa. Não acho que tenho sido uma visita sua.
mas mesmo assim, valeu.
Parabéns pelo seu belo blog.
Meg

3/03/2006 07:28:00 PM  
Blogger Joel said...

Seu blog é parada boa. Criei um link em www.cronicasdojoel.blogspot.com, para que outros também curtam!

3/05/2006 10:43:00 AM  
Anonymous marcellino said...

Gostei ! BOA !
Blog novo na área

3/06/2006 05:08:00 PM  
Blogger Alessandro_PPG said...

Olá! Estou divulgando o meu blog : http://ilustrada-ppg.blogspot.com/ e meu site: http://www.ilustrada.ppg.br/ Ajude a divulgar a arte! Desde já agradeço! Conto com o seu apoio! Abraços !

3/07/2006 12:43:00 AM  
Blogger Ana Maria Gonçalves said...

Matilda, a viagem foi mais que ótima ;-), obrigada!
Ah, Sônia, um dia eu também quero ir...
Pois é, Cláudio, estávamos mesmo querendo essa quietude, e foi muito bom. Bom demais também ter te visto e à Amélia. Vamos repetir, sem dúvida.
Allan, o que importa é realmente a vivência, que ela tão bem soube levar para a poesia.
Meg, nestas duas últimas semanas, provavelmente não, pois eu estava viajando. Mas antes disso sim, eu te visito sim.

Beijos a todos,
Ana

3/07/2006 02:12:00 PM  

Postar um comentário

Links to this post:

Criar um link

<< Home