Confissão #21

Notícias do PublishNews da semana passada:

23/01
O livro de Dirceu não sai
Veja - 25/1/2006 - por Lauro Jardim
A Radar revela a bomba da semana: subiu no telhado o livro de José Dirceu em parceria com Fernando Morais. A ameaça implícita era a de "contar tudo". Agora, segundo a coluna, o plano da dupla é dizer que o livro será adiado - e sair de fininho do assunto até que ele morra. Dirceu, aliás, encontrou-se sigilosamente com Lula na quinta-feira passada. Não se viam havia vários meses. Ele foi chamado pelo presidente, que estava preocupado com as possíveis revelações do livro. Não se preocupe, presidente, o projeto dançou. Ficou só na ameaça.


24/01
ONG faz 4 anos e amplia projetos na Amazônia
O Estado de S. Paulo - 24/1/2006 - por Paula Chagas
A Expedição Vaga Lume, ONG que instala bibliotecas em comunidades rurais na Amazônia, completa quatro anos de atividades. A comemoração é dupla, pois vem com o reconhecimento da ONU através do prêmio ADM Brasil: Objetivos de Desenvolvimento do Milênio, que receberam em dezembro. Para 2006 as coordenadoras e sócias Sylvia Guimarães, Laís Fleury e Maria Tereza Meinberg planejam a realização de dois curtas-metragens, livros artesanais com histórias das comunidades, simpósio sobre a Amazônia e a troca de experiência entre os professores de lá e os das escolas paulistanas que integram a Rede dos Vaga Lumes. A criação das bibliotecas é foco central da ONG, que já beneficiou cem comunidades. "O trabalho cresceu e se modificou muito desde o início da expedição", conta a historiadora Sylvia. "Pretendemos expandir nossa rede de apoiadores e patrocinadores, através da Lei Rouanet", planeja a administradora Laís. Atualmente contam com o patrocínio da Bovespa Social, Hedging Griffo, Grupo Guascor e das Fundações Avina e Ashoka, além da FAB. "Sem eles não teríamos conseguido nada", ressalta Laís. O BNDES renovou o apoio para infra-estrutura da ONG nos próximos dois anos. As três desbravadoras prometem continuar a empreitada de ser um meio de comunicação entre a maior metrópole do País e as comunidades rurais da Amazônia. "Fala-se muito de preservação da Amazônia, lembra-se dos bichos, da flora, mas esquece-se que há pessoas lá e são 20 milhões. Precisamos conhecê-los de perto", lembra. Para mais informações sobre a Expedição Vaga Lume acesse o site www.expedicaovagalume.org.br.

Chomsky e suas idéias
PublishNews - 24/1/2006
Noam Chomsky é reconhecido mundialmente como um dos grandes pensadores da era moderna, recentemente eleito pela revista britânica Prospect como o mais influente intelectual da atualidade. O livro Para entender o poder (Bertrand, 546 pp, R$ 59, trad. Eduardo Francisco Alves), organizado pelos defensores públicos nova-iorquinos Peter R. Mitchell e John Schoeffel, reúne declarações de Chomsky (colhidas de palestras e seminários ao redor do mundo entre 1989 e 1999) e revela o que há de mais importante em suas idéias sobre o passado, o presente e o futuro das políticas do poder. Numa série de discussões abrangentes e esclarecedoras, Chomsky reinterpreta de forma radical os acontecimentos das últimas três décadas, cobrindo assuntos que vão da política externa durante a Guerra do Vietnã até o declínio da assistência social no governo Clinton. Para Entender o Poder é introduzido por dois temas subjacentes a quase todos os aspectos do livro: o progresso do ativismo em transformar o mundo e o papel da mídia em solapar esse ativismo e em moldar o modo como pensamos. Seguindo uma ordem aproximadamente cronológica, o livro avança com discussões ocorridas na época pós-Guerra Fria e explora desdobramentos mais recentes na política externa dos EUA, na economia internacional, no ambiente social e político interno. As notas de rodapé trazem a análise de Noam Chomsky para os dias atuais.

Futricas e desventuras de 'Jerry Potter'
O Globo - 23/1/2006 - por Douglas McMillan
Nas últimas duas semanas, parte dos fãs da obra de J.K. Rowling tiraram Voldemort, o vilão das aventuras de Harry Potter, do posto de inimigo público número 1. Em seu lugar, pasmem: a editora Rocco. Tudo por conta de problemas no mais recente episódio da série, O enigma do Príncipe, que, a despeito de toda a grita, continua encarrapitado no topo da lista de infanto-juvenis mais vendidos. As alegações são extensas e vêm com o tom de mágoa próprio dos traídos. Há capas cujas letras douradas desaparecem, páginas enrugadas, miolos que se soltam, impressão borrada em certas partes e desbotada em outras, além de tropeços de revisão, como nomes de personagens que mudam e traduções que não batem com os originais. Todos os reclamantes ouvidos pelo GLOBO possuíam exemplares impressos na Prol Editora Gráfica, responsável por parte da primeira tiragem de 350 mil livros no país, o que pode identificar a origem dos defeitos gráficos. Mas o principal catalisador da bruxuleante fúria dos fãs está ali no finzinho da página 327: Harry trava um diálogo com seu colega Rony. Subitamente, como se tocado com uma vara de condão, vira Jerry por uma linha. A Rocco afirma que os exemplares com problemas de acabamento podem ser trocados através do telefone 0800-216-789 e do e-mail harrypotter@rocco.com.br


26/01
Prêmio de Literatura Juvenil
MinC - 23/1/2006
Estão abertas as inscrições para a 3ª Edição do Prêmio de Literatura Juvenil Ferreira de Castro. A premiação é realizada pela Associação do Prêmio Nacional de Literatura Juvenil Ferreira de Castro, de Portugal, e destina-se aos jovens brasileiros. O prêmio é subdividido em duas categorias - A e B - sendo a primeira para jovens de 12 a 15 anos e a segunda para os de 16 a 20 anos. Não há limite de páginas para o trabalho, podem ser de prosa ou poesia, e devem ser enviados para a Associação até o dia 30 de junho de 2006. Os vencedores receberão, além de obras do escritor Ferreira Castro e do certificado de premiação, uma quantia em dinheiro no valor de 200 Euros. A Associação do Prêmio Nacional de Literatura Juvenil Ferreira de Castro realiza a premiação com o objetivo de promover o intercâmbio literário, cultural e pedagógico entre jovens escritores do Brasil e de Portugal. Para mais informações sobre o prêmio, visite a página www.prof2000.pt/users/apnljfc. >> Leia mais

Livros x bananas
O Globo - 26/1/2006 - por Ancelmo Gois
Ancelmo Góis noticia (vê se pode) que a Conab, órgão federal que administra a Cobal do Humaitá, no Rio, quer despejar a barraca de venda e aluguel de livros que a Secretaria Estadual de Cultura mantém ali. Segundo o colunista, eediu o espaço para... vender bananas. >> Leia mais


27/01
García Márquez passa por crise de criatividade
O Globo - 27/1/2006
O escritor colombiano Gabriel García Márquez, Prêmio Nobel de Literatura em 1982, disse estar sofrendo de uma crise de criatividade e que 2005 foi o primeiro ano em que não escreveu uma só linha. “Com a minha experiência, poderia escrever um novo romance sem problemas, mas as pessoas se dariam conta de que não tinha posto meu coração ali” disse ele ao jornal “La Vanguardia” em sua casa, na Cidade do México. García Márquez admitiu que a criatividade começou a secar quando ele escrevia o segundo volume de suas memórias, Viver para contar — cujo primeiro livro se tornou um blockbuster quando foi publicado, em 2002. Além dos problemas pessoais — o escritor, de 78 anos, sofre de câncer linfático desde 1999 — ele disse ter dificuldades com o computador. >> Leia mais

O Tico-Tico em edição de luxo
PublishNews - 27/1/2006
A Opera Graphica Editora, orgulhosamente, está lançando o livro histórico de luxo O Tico-Tico 100 Anos - Centenário da Primeira Revista de Quadrinhos do Brasil (256 pp., R$ 139) , contando toda a trajetória de 70 anos da marca O Tico-Tico, desde o seu nascimento em 1905, como publicação semanal, até seu último número como revista periódica, em 1957, e em edições especiais até o seu final, nos anos 70. Com mais de 800 imagens e um encarte do fac-símile da raríssima edição integral de O Tico-Tico nº 1, de 1905, a obra é um marco nos livros teóricos sobre quadrinhos. O livro foi organizado pelos professores universitários Waldomiro Vergueiro e Roberto Elísio dos Santos, mestres em histórias em quadrinhos. Tem prefácio do grande jornalista Sergio Augusto e conta com 26 capítulos escritos por especialistas no tema, como os professores universitários Antonio Luiz Cagnin, Álvaro de Moya, e conta ainda com depoimentos de personalidades como Ruy Barbosa, Carlos Drummond de Andrade, Ruth Rocha, Maurício de Souza e Ziraldo, entre outros. O lançamento acontece neste sábado, 28, das 15 às 17h30 na Comix Book Shop (Al. Jaú, 1998, Cerqueira César, São Paulo-SP, tel: 11-3088-9116).

Para segurar o livro com 1 das mãos e deixar a outra livre
Blue Bus - 27/1/2006
Entre as novidades do século 21 não dirigidas a leitura eletrônica em telas, saiu um pequeno apetrecho de plástico que ajuda você a segurar o livro que lê usando somente uma das mãos foto. Disponível na web em site de vendas na categoria Resources for Reading sob o título Thumb Thing Book Holder. Sai por US$ 2,95 a unidade. Queridos leitores do PublishNews, não percam esta oportunidade. Não de comprar, claro, que não somos do 011 1406, mas a foto é impagável!

4 Comments:

Anonymous Sonia said...

São tantos os assuntos, e de natureza tão diversa, que fica impossível comentar tudo. Mas pergunto, por exemplo, se alguém acreditou mesmo que o Dirceu contaria TUDO no livro? Não me alinho entre os que condenam a série Harry Potter, pelo contrário, acho bom que adolescentes leiam, eles que todo mundo diz que são incapazes de ler. Lamento é que não haja escritores nacionais dispostos a conquistar esse mercado. Temos excelentes autores para crianças, mas raríssimos para o público adolescente. Longe de mim querer me comparar ao mestre, mas dá um certo alívio perceber que não sou eu apenas que atravesso angustiosos períodos literariamente estéreis - e tantos outros autores que passaram pelo mesmo sufoco.

2/01/2006 12:56:00 PM  
Blogger Lúcia said...

Muito útil, essa coisa seguradora de livros. A gente pode ler enquanto mexe o doce na panela, pode dar uma mão à manicure e ler com a outra, casais podem ler e ficar de mãos dadas, pode ler em pé no metrô, também pode... uhm... Que mais?!

2/01/2006 06:01:00 PM  
Blogger Matilda Penna said...

Isso de por o coração no que se escreve é tão verdadeiro, quanta coisa se lê e se percebe que falta algo, não que esteja ruim, é que falta mesmo o coração, o amor pelo que se fez.
E eu hoje fiquei assim, sem criatividade, umas míseras cinco, seis linhas, ainda nesse instante acabei desistindo, :).
E amanhã é dois de fevereiro, lembra?

2/01/2006 06:54:00 PM  
Blogger Ana Maria Gonçalves said...

Pois é, Sônia, eu também achava que ele não contaria tudo. Mas pelo jeito estão com medo até do que ele estava disposto a contar. Sobre Harry Potter confesso que ainda não li, mas foi só por falta de tempo, e não posso dizer nada quanto à qualidade, que já ouvi falar que é boa. Independente disso, também quero mais é que apareçam vários fenômenos iguais a ele, formadores de público leitor. De JK Rowling, e até mesmo de Paulo Coelho ou Bruna Surfistinha, a Machado, Joyce ou Dostoievski é uma questão de ir lendo a aprendendo. E quanto a estes períodos, não a nada a fazer senão trabalho, trabalho e trabalho ;-)

Lúcia, eu ia completar mas é melhor deixar pra lá... ;-)Aliás, lembrei que estão relançando Zéfiro, né? A molecada ia adorar *pisc

Matilda, também já li muita coisa onde não consegui encontrar o coração. Mas desistir não, distrair-se um pouco é melhor, e depois voltar. E é claro que me lembrei de Dois de Fevereiro, um dos dias que mudou minha vida. Já postei! Odó iyá, minha mãe! Vai ao Rio Vermelho? Jogue umas flores lá por mim.

Beijos a todas,
Ana

2/01/2006 11:10:00 PM  

Postar um comentário

Links to this post:

Criar um link

<< Home